EMPRESAS EM DESTAQUE

A sua empresa não está aqui?

PRODUTOS

Produtos mais pesquisados

Retroescavadoras

diversos tipos

+ Ver

Bancas Lava Louças

diversos tipos

+ Ver

Tintas

diversos tipos

+ Ver

SERVIÇOS

Serviços mais pesquisados

Aluguer de mini-carregadoras

diversos tipos

+ Ver

Aluguer de geradores

diversos tipos

+ Ver

Aluguer de retroescavadoras

diversos tipos

+ Ver

MOZBUILD assina Protocolo com a FME

A assinatura do protocolo de cooperação entre o portal MOZBUILD e a Federação Moçambicana de Empreiteiros decorreu no passado dia 4 de Março, tendo sido as instituições representadas por Gregório Marcelino, Director Executivo da FME e por António Leal de Oliveira, Director Geral do Mozbuild.

A FME é uma Associação de direito moçambicano sem fins lucrativos constituída em 2005 para representar e defender os interesses da indústria nacional da construção e dos empreiteiros nacionais, tendo como membros as associações de empreiteiros de todas as províncias e da cidade de Maputo.Entre outras contrapartidas, este protocolo tem por finalidade a divulgação da ferramenta online Mozbuild junto de todas as entidades relacionadas com a actividade da construção em Moçambique e proporcionar condições especiais de inserção e publicidade no portal Mozbuild aos associados da FEM. 

Moçambique vai crescer 3,6 por cento em 2016 e 5,1 por cento em 2017

O crescimento económico de Moçambique em 2016 deverá ser da ordem dos 3,6 por cento de acordo a última análise da Economist Intelligence Unit (EIU) metade do registado na última década, devido à queda da despesa pública, fracas exportações e perturbações na produção agrícola.

A partir do próximo ano, a EIU prevê uma aceleração para um crescimento médio de 5,1 por cento entre 2017 e 2020, impulsionado pela estabilização macroeconómica e pela recuperação da confiança dos investidores.

A EIU afirma que a recuperação estará directamente ligada ao aumento da produção de carvão e dos seus preços nos mercados internacionais no período entre 2017 e 2018 e à melhoria da produção agrícola a partir de 2017, no entanto, com poucos resultados, devido à falta de produtividade da agricultura e aos baixos preços praticados na exportação dos produtos.

Na análise económica da situação em Moçambique datada de meados de Setembro, a EIU admite ser provável uma queda no investimento, consequência da “alta inflação, volatilidade da moeda e crescentes riscos políticos”.

+ Ver