EMPRESAS EM DESTAQUE

A sua empresa não está aqui?

PRODUTOS

Produtos mais pesquisados

Sistemas de coberturas metálicas

diversos tipos

+ Ver

Ferramentas

diversos tipos

+ Ver

Tintas

diversos tipos

+ Ver

SERVIÇOS

Serviços mais pesquisados

Aluguer de empilhadores

diversos tipos

+ Ver

Aluguer de geradores

diversos tipos

+ Ver

Aluguer de retroescavadoras

diversos tipos

+ Ver

Governo de Moçambique negoceia reinício das obras da barragem de Moamba-Major 

O governo de Moçambique está a negociar com três empresas internacionais a conclusão das obras da barragem de Moamba-Major, na província de Maputo, disse o director nacional de Gestão de Recursos Hídricos (DNGRH), Messias Macie, ao matutino Notícias, de Maputo.

A barragem de Moamba-Major, cuja primeira pedra foi lançada em 2014, terá capacidade para armazenar 760 milhões de metros cúbicos de água, controlar o fluxo do rio Incomáti, aumentar o abastecimento de água às cidades de Maputo, Matola e Ressano Garcia e ter uma central para produzir 15 megawatts de energia eléctrica.

Economia de Moçambique deverá crescer de 3,5% a 4% em 2018, FMI

A perspectiva de curto prazo da economia de Moçambique é de uma recuperação gradual na actividade económica e uma inflação controlada, prevendo-se um crescimento real do Produto Interno Bruto de 3,5% a 4% em 2018, que deverá crescer para 4,0% a 4,5% em 2019, informou o Fundo Monetário Internacional (FMI).

A recuperação mais forte do que o esperado do sector agrícola bem como da produção mineira permitiu que o Produto Interno Bruto de Moçambique tenha crescido 3,75% em 2017, um acréscimo de 75 pontos base relativamente à anterior previsão.

Uma equipa do corpo técnico do FMI, chefiada por Ricardo Velloso, visitou Moçambique de 25 de Julho a 3 de Agosto de 2018.No final da visita, a missão emitiu um comunicado em que afirma esperar que esta recuperação seja apoiada por reduções adicionais nas taxas de juro face ao cenário favorável da inflação, que a inflação permaneça baixa em 6,5% em 2018, e que desça para 5,5% em 2019 e que as reservas internacionais manter-se-ão em níveis confortáveis em 2018 e 2019.